Skip navigation

fizemos revisões de todos os conteúdos das várias linguagens que aprendemos, frisando conceitos chave de programação como variáveis, ciclos for, testes if(){}else{}, classes e objectos, chegar as variáveis a modificar, construir algoritmos base no processing, pd, arduino, openframeworks.

primeiro as noções iniciais de programação exploradas em máquinas de desenhar, onde a posição do rato serve como foco para o lançamento de novos objectos de classes programadas por nós. o sistema de coordenadas cartesiano e o sistema de coordenadas polar. (sessão 2)

primeiras noções de interactividade usando os microfones ligados ao computador, samplando a energia rms sonora, ou um espectro fft que nos dá intensidade por banda de frequência. aplicar os parâmetros do áudio em variáveis que controlam gráficos. noções de classes mais avançadas com os exemplos dos triângulos de som. (sessão 3)

paralelamente, primeiras máquinas lógicas simples, onde a nossa interacção controla um ou mais elementos, e há outros elementos que reagem face à nossa posição, distância, status, etc. os sketches círculos_attack.

depois fomos analisar o tipo de dados pimage e a biblioteca video do processing, que é um tipo de dados que armazena imagens. começamos com os sketches que acedem à informação de cor de cada pixel — criando travelers que oscilam com base nessa cor –, depois ler e scrubbing de video, gravar video e aceder a câmaras. terminamos com acessos mais elaborados à array dos pixels de cada pimage, modificando-os ou lendo-os directamente. (sessão 4)

o próximo tópico foram as partículas e sistemas de partículas, onde elementos simples mantêm variáveis de posição, velocidade, aceleração. a aceleração será o vector que controla a magnitude da deslocação. é também o vector que define a totalidade das forças aplicadas nas partículas. os próximos passos são actualizar a velocidade com a aceleração, actualizar a posição com base na nova velocidade, desenhar o elemento na nova posição. (sessão 5)

introdução ao 3d com noções de coordenadas espaciais, onde está a câmara, onde estão os objectos no espaço, como criar algorimos que gerem formas que se movimentem em três dimensões. (sessão 6)

alguns exemplos mais elaborados de video, como slitscan, delays, texturas em 3d; início do tracking de vídeo: detecção de presença, movimento, background removal, detecção de posição de centróides de blobs, frame differencing, detecção de outras features como caras, mãos, … (sessão 7, 8)

arraylists como recipientes dinâmicos de dados, texto no processing, como ler linhas de texto, separar palavras e espalhá-las espacialmente para desenhar. o sistema esférico (semelhante ao polar, mas em 3d), como desenhar pontos no espaço em forma de esfera e modificá-los com base no som. (sessão 9)

máquinas de estado simples mais avançadas, onde criamos várias classes, obstáculos, bolas, tiros, e todos elas comunicam entre si. cada bola, mesmo as autónomas colidem com os obstáculos, a nossa bola envia tiros que colidem com bolas e obstáculos, e implementamos uma lógica simples quando as bolas em cena terminam, re-iniciamos um novo nível. (sessão 10)

depois vimos puredata, arduino, open frameworks, que ficará como resumo no próximo post.

o curso está na fase laboratorial, estamos activamente a desenvolver projectos individuais e uns projectos colectivos, tirar dúvidas mais específicas em torno de algumas coisas, estamos de antenas apontadas para uma apresentação de projectos de fim de curso que ocorrerá no início de julho.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: